CAPOEIRA PARA DEFICIENTES VISUAIS: COMPARAÇÃO DO EQUILÍBRIO ENTRE PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE CAPOEIRA

Janaína Barbosa Matos, Fábio Sprada de Menezes

Resumo


Objetivo: Comparar o equilíbrio de deficientes visuais praticantes e não praticantes de capoeira. Método: 10 deficientes visuais (20 a 47 anos), escolhidos de forma não probabilística intencional, capoeiristas n=5 e não capoeiristas n=5, submetidos à Escala de Equilíbrio de Berg – EEB e Escala Internacional de Eficácia de Quedas – FES-I. Resultados: A média dos valores da EEB foi de 55,4 ± 1,34 para os capoeiristas; 54 ± 1,58 para os não capoeiristas, quanto na FES-I foi de 27 ± 7,64 para os capoeiristas; 35 ± 8,12 para os não capoeiristas. Conclusão: Não houve diferença estatística significativa na comparação do equilíbrio entre os praticantes e não praticantes de capoeira, embora os capoeiristas tenham obtido melhor desempenho nos dois testes aplicados.

Palavras-chave


Capoeira; deficientes visuais; equilíbrio; atividade física.

Texto completo: PDF

Indexadores

WEB OF SCIENCE (ISI)SCIELO
LILACS LATINDEX

Bases de dados

Portal de Periódicos da CAPES DOAJ PKP ULRICHS WEB LiVre CCN



ISSN (Impresso) 0101-3289; ISSN (Eletrônico) 2179-3255
A RBCE On-line é uma publicação do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE).
Este site é melhor visualizado utilizando os navegadores Mozilla Firefox ou Google Chrome.